Mateus 7:22-23

“Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.”

Nesta passagem Jesus nos revela claramente qual será o critério que ele usará naquele dia, no dia em que ele voltará para reinar e no qual todos os serem humanos serão julgados. Este critério parece que vem sendo substituido por outros ao longo dos séculos, de acordo com a conveniência humana. E precisamos entender muito bem qual o critério correto para não errarmos na maneira como conduzimos nossas vidas diante de Deus.

Primeiramente precisamos entender que não seremos julgados por aquilo que fizemos. A passagem é clara ao dizer que profetizar, expulsar demônios e fazer maravilhas não é garantia de que alguém será aceito naquele dia. O perigo é que essas ações dizem respeito, diretamente, a fatos ligados a uma vida religiosa. E não qualquer vida religiosa, mas uma vida religiosa com muitos sinais e prodígios. É claro que não é errado a produção de sinais e prodígios. O próprio Jesus disse que sinais iriam seguir aqueles que cressem (Marcos 16:17). Mas Ele mesmo também alertou que no final dos dias haveria muitos sinais falsos, vindos de fontes falsas (Mateus 24:24). Podemos entender, portanto, que é necessário algo mais, alguma coisa precisa estar na base de atuação destes sinais e prodígios. O que seria?

Nunca vos conheci! Intimidade, relacionamento, conhecimento com Jesus. Este é único critério que Jesus usará naquele dia. E conhecimento exige tempo. Tempo reservado para desenvolver essa amizade. Não posso dizer que tenho essa intimidade com alguém que encontro só eventualmente. Intimidade exige tempo e frequência. Me lembro quando estava namorando. Eu queria estar junto dela a todo tempo possível. Os momentos em que estávamos juntos passavam muito rápido e eram motivo de muita alegria. E os momentos em que não estávamos juntos, eram vistos apenas como intervalos necessários e obrigatórios. Afinal, estava apaixonado. Será que podemos dizer que somos apaixonados por Jesus?

Por fim, Jesus alerta que tudo o que é feito fora da base correta (apesar da boa aparência) é considerado iniquidade. Uma das definições que você encontra para esta palavra é “injustiça“. Não adianta aparentar servir a Deus. Você pode enganar todo mundo, e até a você mesmo, mas na verdade estará vivendo uma mentira, uma injustiça, caso o que faça não seja fruto de um relacionamento pessoal com Jesus.

Para você pensar: Você é apaixonado por Jesus? Passar tempo na presença de Deus é obrigação ou prazer para você? Sua vida religiosa é fruto do relacionamento que você tem com Jesus, ou é apenas para impressionar outros e enganar a si mesmo?

Anúncios

Sobre Wilson Moraes

Brasileiro, casado com a Maria José, pai do Gabriel, da Jordana e da Camila. Procurando servir a Deus de maneira intensa e verdadeira. Colocando minha vida a serviço do Seu Reino.
Esse post foi publicado em Mateus e marcado , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Mateus 7:22-23

  1. mari omena disse:

    Essa palavra e verdadeira,como podemos subir aos ceus se nem ao menos somos conhecidos do senhor,quando me converti eu lia muito a biblia e orava muitas x ao dia,e uma x o senhor falou ao meu coração e dizia me ame mais me busque mais e veras a minha gloria,eu por ignorancia achei que estava fazendo algo errado e parei de busca-lo da maneira que estava buscando sendo que na verdade era a busca correta,ler a palavra do senhor e onde o conhecemos intimamente e orar e onde estreitamos a nossa intimidade com ele e fazer essas duas açoes nos torna intimo do nosso senhor e somente isso basta para provarmos ao nosso senhor o quanto o queremos verdadeiramente,pq o cumprimento de sua palavra acontece naturalmente.Que o nosso senhor seja louvado!

    • Wilson Moraes disse:

      Olá Mari,

      De fato, ter comunhão com Deus não é algo que esteja fora de nosso alcance. É questão de prioridade. Nossa luta é separar tempo, diariamente, para leitura da Palavra e Oração. E eu acrescento ainda mais um ponto a estes dois: Comunhão com o Corpo de Cristo. Deus usa este tripé (Palavra + Oração + Comunhão) para falar conosco e para que possamos desenvolver nossa intimidade com Ele.

      Que Deus continue achando este espaço em nossas vidas.

  2. Pingback: | Ministério Atos

  3. uer disse:

    Olá, queridos!
    Concordo com voces a respeito de estabelecermos uma relação íntima com o nosso Deus, mas penso também, que, não basta só orarmos ou tirarmos um tempo assós com Ele.É necessário uma vida justificada na sua palavra; palavra e prática devem ser a mesma coisa, ou seja, vivenciarmos aquilo que ministramos, amar o outro incondicionalmente como Ele nos ama, pois, Jesus disse: “Quero misericórdia e não sacrifício”! (Mt. 9: 13).

  4. renatieli martins frança disse:

    Ótima palavra! Deixa Deus te usar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s