Gênesis 4:16-22

“E saiu Caim de diante da face do Senhor, e habitou na terra de Node, do lado oriental do Éden. E conheceu Caim a sua mulher, e ela concebeu, e deu à luz a Enoque; e ele edificou uma cidade, e chamou o nome da cidade conforme o nome de seu filho Enoque; E a Enoque nasceu Irade, e Irade gerou a Meujael, e Meujael gerou a Metusael e Metusael gerou a Lameque. E tomou Lameque para si duas mulheres; o nome de uma era Ada, e o nome da outra, Zilá. E Ada deu à luz a Jabal; este foi o pai dos que habitam em tendas e tem gado. E o nome do seu irmão era Jubal; este foi o pai de todos os que tocam harpa e órgão. E Zilá também deu à luz a Tubalcaim, mestre de toda a obra de cobre e ferro; e a irmã de Tubalcaim foi Noema.”

É provável que ao ler o texto acima você não perceba nada de interessante. Parece mais um daqueles textos longos e chatos, cheios de genealogias e imaginamos que não sentiríamos sua falta na Bíblia. No entanto quero chamar sua atenção para dois fatos intimamente relacionados neste texto.

O primeiro fato que devemos nos lembrar é que essa passagem ocorre justamente após o primeiro crime registrado nas Escrituras. Caim era o filho mais velho de Adão e Eva. No primeiro versículo do capítulo 4 de Gênesis temos a origem de seu nome. Eva escolheu seu nome pois, segundo suas palavras, “Alcancei do Senhor um homem”. Com certeza ela tinha esperanças de que esse filho seria o cumprimento da promessa de Deus, de que da mulher sairia um descendente que pisaria na cabeça da serpente (Gênesis 3:15). Caim representava para Adão e Eva a possibilidade de redenção da queda por eles experimentada. Mas não foi isso o que aconteceu. O pecado, já arraigado no coração de Caim, fez com que ele, por inveja, matasse seu irmão mais novo. Ele, como primogênito, poderia ter se colocado em posição de ser aquele que resgataria a raça humana, poderia ter dominado sobre o pecado. Mas seu egoismo e arrogância foram maiores. E por isso ele “saiu de diante da face do Senhor”. Podemos entender que, mesmo depois da queda de Adão e Eva, ainda havia para o homem a possibilidade de se viver diante da face do Senhor. Mas Caim escolheu não ter que prestar contas do que fazia para Deus.

O segundo fato que quero chamar a atenção, que é consequência do primeiro, pode ser observado no que aconteceu com Caim e sua descendência a partir de então. Independente de Deus, ele edificou uma cidade, um de seus descendentes se tornou pai dos que habitam tendas e tem gado, outro foi pai de todos os que tocam harpa e órgão, e mais um foi mestre de toda obra de cobre e ferro. Nada disso tem, em si, mal algum. Afinal todos esses fatos indicam que tanto Caim quanto seus descendentes eram produtivos, criativos, cheios do que chamamos hoje de empreendedorismo.

O problema é que isso prova que podemos ser criativos e produtivos sem estar na presença do Senhor. Este é um alerta muito sério para aquilo que o próprio Jesus classificou como loucura: ganhar o mundo inteiro e perder sua alma (Lucas 12:20). A tentação de levarmos uma vida normal e até mesmo merecedora de elogios esconde o perigo de fazermos tudo isso de forma independente, sem ouvir de Deus, sem saber se é aquilo mesmo que Ele quer de nós. A pior coisa que pode acontecer na vida de alguém é, ao chegar ao final dessa vida e descobrir que tudo o que foi feito foi um erro só. Para se evitar isso, Deus nos chama a levarmos uma vida em comunhão com Ele. Não mais independentes. Jesus disse a Nicodemos que o que é nascido do Espírito é como o vento: Não sabe de onde vem, nem sabe para onde vai (João 3:8). Viver dessa forma é uma verdadeira aventura.

Para você pensar: Até que ponto você tem levado sua vida de maneira independente da orientação de Deus? Não seria o caso de se perguntar se a segurança que você sente hoje é fruto de seu próprio esforço? Você estaria disposto a viver a aventura de depender de Deus?

Anúncios

Sobre Wilson Moraes

Brasileiro, casado com a Maria José, pai do Gabriel, da Jordana e da Camila. Procurando servir a Deus de maneira intensa e verdadeira. Colocando minha vida a serviço do Seu Reino.
Esse post foi publicado em Gênesis e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Gênesis 4:16-22

  1. David disse:

    Pra refletir mesmo. Ótimo post!

  2. sirlei Lima disse:

    É necessário mesmo sabermos se nossa condição exalta nosso SEnhor, se vivemos para Ele, ou vivemos nossas vidinhas na periferia , longe da fonte. DEus tenha misericórdia de nós.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s